O que esperar do verão

13.11.19

Imagem por Stevepv sob licença Creative Commons.


Braços, pernas, barrigas, bundas com estria, coxas flácidas que balançam ao andar.

Um biquíni menor que o corpo ou um maiô que cobre tudo. Uma sunga apertadinha ou um calção quase até o joelho.

Cabelos ao vento de todos os estilos: liso, enrolado, ondulado, colorido, raspado, com dreads ou tererês.

Roupas, cangas e toalhas. Guarda-sol, sombrinha, viseira, boné e chapéu de palha.

Uma pausa para viver.

— E aquele corpo tão bonito da propaganda? — Se pergunta o leitor de cenho franzido.

— Aquele corpo? — Eu respondo. — Vem em diferentes formatos e tamanhos, em uma diversidade infinita.

A magrela, a gordinha, a cheinha. A com corpo de pêra, violão, melancia, morango, manga e qualquer outra fruta que você quiser.

O alto, o baixo, o pançudo e o tanquinho.

Todos no mesmo lugar. Um corpo como o seu, como o meu. Aquele corpo de verdade com celulites, dobras, manchas, pintinhas, com um coração que bate como qualquer outro, com direito de aproveitar o sol, a água, a areia e o mar.

Corpo como qualquer outro que vive, que se move, que fala e se expressa.

Se expressa no olhar, no toque e naquele sorriso de satisfação por poder manter a essência de verdade sem olhares tortos ou medo de críticas destrutivas.
O que esperar se não a liberdade de ser feliz como se deve ser, e de poder tomar um bom sorvete para se refrescar nesse lindo verão.


  • Share:

Posts Relacionados

1 comentários

  1. Texto que nos lembra de que cada um tem um corpo diferente do outro e está tudo bem!

    Beijinhos

    ResponderExcluir