A última carta

11.2.20




Oi,

Já faz um tempo que a gente não se fala, não é mesmo? Mas prometo que essa será a última carta de tantas outras que eu costumava escrever para você.

Achava lindo isso, como se um pedaço do momento ficasse congelado naquelas palavras que refletiam como eu me sentia naquele momento em que te escrevi. Sempre adorei essa ideia de ter um romance as antigas com cartas trocadas, mas você nunca me escreveu uma... e está tudo bem.

Não era algo que você costumava fazer ou que sentisse que deveria, e, de certa forma, eu entendo.

E aqui estou eu, escrevendo a última carta para terminar de vez com aquilo que um dia foi tão especial para mim, mas talvez você nem tenha se dado conta disso, não é mesmo? Como várias outras coisas que costumava passar por alto ou que fingia que não estava acontecendo.

Sabe, eu imaginava mais de nós dois, talvez um futuro de conto de fadas, aquele que sempre sonhei em meus devaneios. Nós dois crescendo juntos, conquistando o mundo inteiro... um sendo a potência do outro, o casal de escritores com uma casa cheia de livros e histórias por contar, com uma linda menininha bochechuda correndo pela casa em um futuro encantador.

Você lembra quando conversávamos sobre isso em qualquer noite de inverno debaixo das cobertas? Aposto que não... você nunca se lembrava de nada importante relacionado a nós.

Agora sei que isso nunca vai acontecer e está tudo bem.

Que louco não é? Nossos primeiros encontros foram dignos de cena de cinema, eu voltava para casa mais apaixonada e tinha uma vontade louca de te ver. Eu sentia aquela sensação no meu estômago, uma felicidade extrema.

Eu havia me apaixonado tão rápido, enquanto você ainda estava tentando entender o que sentia por mim.

Ao parecer, eu sempre tive certeza dos meus sentimentos, mas você sempre esteve em dúvida. Por isso, nos últimos instantes, insistia em perguntar se algum dia você realmente me amou e, apesar da sua repetição de “sim, eu te amei, sua louca”, nunca pude sentir essa verdade saindo da sua boca ou dos seus olhos.

Quase como se a sua repetição fosse para convencer a você mesmo e não a mim.

Mas tudo bem. Está tudo bem.

Os momentos que vivemos juntos foram maravilhosos, faria tudo outra vez só para ter essas memórias especiais ao seu lado, uma base de um possível amor que quero para futuras relações só que com outro final. Eu não poderia apagar, sem mais nem menos, as noites rindo na cama, as danças aleatórias na sala, nós dois juntos cantando juntos no chuveiro, você me mimando em um dia ruim, quando fazíamos compras juntos e eu revirava os olhos ao ver você comprando doces e salgadinhos.

E como esquecer das nossas caminhadas? Quando voltávamos a passear pelo lugar do nosso primeiro encontro e suspirávamos com aquela memória.

Só que agora eu passo por ali e não sinto mais nada. E está tudo bem não sentir mais nada, e você já sabia que eu iria embora se você fizesse esse tipo de coisa, foi algo que disse naquela conversa, há quase dois anos atrás, quando decidimos dar-nos uma chance de experimentar o amor.

Mas não estou escrevendo isso para me declarar ou pedir para voltar, muito pelo contrário, a vida continua e se você me quisesse de verdade, correria atrás de mim, mas acho que isso nunca passou pela sua cabeça, você só me deixou ir. Assim, sem mais nem menos... mesmo sabendo que eu adorava estar com você.

Mas já não importa o que passou, não quero remoer o passado, meu coração voltou a ser de gelo como era antes, esperando que venha outro alguém capaz de derrete-lo como você o fez antes. Vai ser difícil, mas tenho certeza de que existem outros por aí que podem me fazer feliz.

Sabe, você disse que não estava preparado para uma relação, mas tenho certeza de que em pouco tempo vai se apaixonar por uma das meninas com quem você conversava enquanto eu dormia tranquila ao seu lado na cama.

Então venho aqui pedir que você não as iluda se não pretende nada com elas, que não as engane ou minta como fez comigo. Não as use para se divertir, elas não são brinquedos, valorize cada aspecto e detalhe delas.

Quero pedir que seja sincero e verdadeiro, toda mulher merece isso; também espero que você não as machuque como fez comigo, que não quebre seus corações com suas palavras carregadas de historinhas para sair das cagadas que você costuma cometer.

Não traia a confiança delas, espero que você converse e abra o seu coração, e não prometa coisas que você sabe que não pode cumprir.

Seja mais romântico, faça surpresas de vez em quando. Sim, as surpreenda com um chocolate ou algo que você sabe que elas gostam e não deixe que elas peçam isso para você, como eu costumava pedir.

Admire cada mulher que esteve diante de ti e que se interessou pelo seu jeito de ser, não é qualquer um que deixamos entrar de verdade na nossa vida.

Apesar de você ser um desconhecido para mim agora...

Espero que você as faça sorrir e que as leve para lugares lindos como um dia você chegou a fazer comigo.

Que dê a atenção que elas merecem e não fique só nesse celular vendo memes ou pornografia como você fazia enquanto eu me distraia por dois segundos.

Só peço que você valorize quem tem ao lado, que saiba ouvir e entender como elas são e que crie a capacidade de se dar um pouco mais, de se preocupar por elas e de cuidar da outra pessoa de verdade, isso porque você quer e não porque se sente obrigado.

Faça-as feliz de verdade e não crie uma ilusão de felicidade como você fez comigo, mostre a sua verdadeira máscara desde o princípio e não as decepcione mostrando-a depois de quase dois anos de relação.

Esta é a minha última carta, vou seguir minha vida tranquila enquanto você continua vivendo nesse seu mundinho de enganações.

Adeus,
Seu ex-amor.  

  • Share:

Posts Relacionados

0 comentários